as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

Posts Tagged ‘x-wife

o privilégio das noites ritual terem 20 edições.

leave a comment »

As Noites Ritual, que já não têm rock no nome mas que ainda têm rock no seu cartaz, chegam à 20ª. edição. Permanece no Porto, e nos Jardins do Palácio de Cristal, aquele que é, desde há muito, o único festival de música portuguesa (cem por cento do cartaz é português) e um festival que mantém a aposta em focar-se, em ambiente urbano, em públicos distintos. Oscila, ora entre entrada livre, ora entre valor simbólico de entrada, e e 2011 é um ano em que se paga: 3 euros por cada uma das noites.

Cartaz das "Noites Ritual 2011".

Cartaz das "Noites Ritual 2011".

Hoje, 26 de Agosto, a primeira noite é do rock. No palco principal X-Wife, Linda Martini e a confirmação do regresso aos palcos dos Zen, enquanto no palco secundário WE TRUST e Guta Naki. Os Zen serão, admito, a principal motivação para hoje ir até às Noites Ritual. Provavelmente, deixando de lado o segundo disco “Rules, Jewels, Fools”, e pegando nas canções fortes de “The Privilege of making the wrong choice”, os Zen prometem celebrar o rock-funk que tão bem arquitectaram.

[ Vídeo: “U.N.L.O.”, por Zen ]

Amanhã, 27 de Agosto, outros estilos musicais cruzam os palcos, com Terrakota, Mind Da Gap e Orelha Negra, no palco principal.

Written by Cláudio Vieira Alves

26/08/2011 at 19:10

o rock tem pronúncia do norte e soa a portunhol.

with 2 comments

No âmbito de Gaia como Capital da Cultura do Eixo Atlântico, em 2009, nasce o festival Eixo Rock. Este festival junta Galiza e Norte de Portugal em duas noites de espectáculos gratuitos que decorrem na Alameda do Senhor da Pedra, em Miramar, Vila Nova de Gaia.

Cartaz de promoção do festival Eixo Rock.

Cartaz de promoção do festival "Eixo Rock".

Duas noites com início pelas 21 horas e que são carregadas de espectáculos e de experiências sonoras que ultrapassam, largamente e bem, o rock.

Hoje, 14 de Agosto, a noite conta com abertura dos galegos Cornelius cantam em Inglês e passeiam-se, alegremente, do rock mais funk até ao hard rock. Seguem-se os Skeezos, uma banda jovem que tem vencido, principalmente no Porto, vários concursos e assumindo-se como uma banda revelação para breve. Posteriormente, e ainda nesta noite, os galegos Kogito aquecem com ska o ambiente para receber os Trabalhadores do Comércio. Sobre estes, e sobre os recentes discos, tudo de positivo a apontar. Por este motivo recomendo, seriamente, que experimentem o profissionalismo combinado com boa disposição que em palco os Trabalhadores costumam produzir.

Videoclip “Cordabida” dos Trabalhadores do Comércio

[ Vídeo: “Cordabida”, por Trabalhadores do Comércio ]

No noite de 15 de Agosto outras 4 bandas sobem ao palco, no Senhor da Pedra. Os, tal como os Skeezos, banda-revelação Zebra antecedem aquele que é, para mim, a verdadeira banda-revelação deste festival: The Bombazines, a banda de que já se escreveu por aqui. O metal marca presença através dos galegos Aphonnic, e o último concerto desta primeira edição deste festival fica a cargo dos badalados e inventivos X-Wife. a banda pop-rock-electrónico de João Vieira (o mesmo que veste, tantas vezes, o seu dj kitten).

[ Vídeo: “Heart of the world”, por X-Wife ]

Written by Cláudio Vieira Alves

14/08/2009 at 11:05

«lá vem ela mostrando interesse, por resolver este popless.»

with one comment

Fim-de-semana é para ganhar coragem dizia Sérgio Godinho, e uma dessas formas – a meu ver – é, também, fazendo dançar a alma.

Aos, pouco mais de, 200 mil habitantes do Porto, bem como, também, ao mais de milhão que vive na periferia da cidade, os seguintes convites musicais se estendem. E tive que referir estes números porque, esta semana, fiquei abalado com a notícia de que o Porto perde habitantes ao mesmo ritmo estonteante com que as garrafas de Pedras Salgadas perdem o gás.

Hoje, 19 de Junho de 2009, pelas 23 horas, no Maus Hábitos o, de acordo com JP Simões, “pop rock romântico, melancólico mas exaltante” dos dR. estranho amor dá som ao espaço onde a música convive com diversas salas, muitas pessoas, velharias e gatos à mistura. Visitarei-os curioso para uma primeira audição atenta, daquele que se assume, e pretende ser, um bom disco pop.

Para amanhã, 20 de Junho, duas propostas diferentes: uma, gratuita, e que volta a decorrer nas ruas do centro do Porto é o festival Porto Sounds. Mais uma vez, com os concertos espalhados em diferentes localizações estarão presentes, a partir das 23 horas: X-Wife e Lobo, na Rua Cândido dos Reis, e Minnemann Blues Band na Praça D. Filipa de Lencastre. Para o fim, no Plano B, reservaram-se João Dinis e  Concorrência.

Cartaz da Edição de Junho do Porto Sounds.

Cartaz da Edição de Junho do Porto Sounds.

Outra proposta a que sou, particularmente, mais sensível decorre no Tertúlia Castelense, pelas 23h30min.. Pela mão de um super-grupo – que reúne músicos do Porto, de velhos projectos musicais bem queridos à cidade – os The Bombazines afastam-se das individuais diferentes bagagens musicais (pop e rock) para, colectivamente, ingressarem na atmosfera dançável do funk com muitos toques do que mais ácido a soul conseguiu ter.

Reconheço que a voz de Marta Ren, dos Sloppy Joe, sintonizada com os teclados (e que teclados!) de Eurico Amorim (Supernada, Insert Coin) consegue, ainda, ser uma surpresa na sua prestação tão corrosiva. Mas, pessoalmente, foi na voz seca de Rui Gon (Zen) que, naquele contraste desenhado com o baixo funk de Miguel Barros, encontrei a surpresa e a magia de alguns dos temas do disco de apresentação. Peguem no groove que Portugal já ouviu com Cool Hipnoise e num qualquer jazz ácido da década em que vivemos e imaginem as combinações possíveis. Garanto-vos: o resultado é melhor do que isso que, mentalmente, desenharam. E o ingresso? Bom, esse, custa apenas € 5.

Para os interessados, o EP dos The Bombazines está disponível para download livre aqui, lançado pela Optimus Discos.