as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

Posts Tagged ‘vídeo

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #38

with 2 comments

O dia 1 de Abril foi, durante muitos anos, o último dia das festividades de passagem de ano  — já que a data de mudança de ano ocorria, por alturas da chegada da Primavera, a 25 de Março.

Com a implementação do calendário gregoriano, em 1564, pelo Rei Carlos IX de França, e a transferência do primeiro dia do novo ano para 1 de Janeiro, muitos foram os Franceses que resistiram a essa modernidade e continuaram a celebrar o dia 1 de Abril como o último dia das festas de passagem de ano. Esta resistência à mudança por um grupo de pessoas motivou os restantes franceses, que estavam em concordância e que transitaram para o novo calendário, a inventar partidas que ridicularizassem os mais conservadores.

Reza a lenda que foi assim que, quase 500 anos depois, muitos dos Países Ocidentais passaram a celebrar o dia 1 de Abril como o Dia das Mentiras.

Ora, neste dia, uns fazem melhores partidas do que outros. Mas, o caso deste jornalista da FOX 5 que, depois de uma falsa peça jornalística a explicar a tecnologia que torna possível que um iPad emita sabores e cheiros, convence a sua colega de profissão e de programa a lamber um iPad em directo tem graça. Lá isso, tem.

[ Vídeo: “Pivôt prega partida a colega em directo”, por Fox 5 ]

Written by Cláudio Vieira Alves

06/04/2011 at 14:32

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #37

with 4 comments

Eu, que nunca (e faço um mea culpa por isso) coloco vídeos relativos a futebol, não fico imune a este pedaço de bom humor.

Paulo Futre, num debate para as Eleições do Sporting, conseguiu que, nos últimos dois dias, esta fosse das poucas declarações públicas com piada. Fica a minha humilde dica a Pedro Passos Coelho para que, a julgar pela falta de ideias apresentadas na última entrevista, recorra a homens com inovações frescas como as que aqui Futre apresenta.

É ver, e ouvir, principalmente a partir dos 2min30seg..

[ Vídeo: “Declarações”, por Paulo Futre ]

É que, com aquela do “departamento do jogador chinês”, qualquer um fica sem palavras.

Written by Cláudio Vieira Alves

25/03/2011 at 23:05

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #36

leave a comment »

Se o mundo se divide entre os homens que privilegiam (i) as mamas, (ii) ou os rabos, eu teria que assumir uma principal predilecção pelas primeiras. Na realidade, não serei caso único — a julgar pela quantidade de blogues que se preocupam precisamente em documentar as diversas formas que, aos pares, populam este mundo. Mas, não sejamos pudicos, se a verdade é que os homens reparam e falam destas coisas, a verdade é que também as mulheres heterossexuais gostam de dar uma espreitadela em seara alheia.

Este assunto tem pano para mangas e é tanto assim que duas mulheres norte-americanas, com tanto de convencimento como de criatividade tecnológica, decidiram passear por Los Angeles com uma pequena câmara oculta presa, precisamente, a um dos seus rabos. Com efeito, gravaram algumas reacções interessantes que decidiram partilhar num pequeno vídeo. E, num género de serviço público, cá está ele.

[ Vídeo: Câmara oculpa, por Rear View Girls ]

Written by Cláudio Vieira Alves

03/03/2011 at 12:45

eu vim de longe. o que eu andei p’ra aqui chegar.

leave a comment »

Dá-me a sensação, ao olhar para trás, para o curto passado que carrego sem dores nas costas, que faço um caminho sem me aperceber. Não por falta de motivação ou de visão, mas antes por uma necessidade de andar para lá chegar. O espanhol António Machado dizia, ao caminhante, que não há caminho — avisava, sim, que “se hace camino al andar”. Mas, ao pensar em tudo isto, acabo sempre é por esquecer a poesia e lembrar-me deste anúncio da Guiness que proclama que as coisas boas vêm de encontro aos que sabem esperar.

[ Vídeo: “Good things come to those who wait.”, por Guiness ]

Written by Cláudio Vieira Alves

01/03/2011 at 09:43

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #34

with 2 comments

Há algumas coisas que, pessoalmente, me irritam no facebok: o lixo de “não-sei-quem alterou a foto de perfil” e derivados; os jogos farmville e sucedâneos; os quizzes; a dificuldade na gestão de múltiplos contactos vs. páginas; as alterações que lhe fazem, como o perfil novo e a lista de feeds só das pessoas com que se interage, sem que se avise ninguém; a forma como agora se vê as fotos com aquele fundo preto e que torna tudo lento; algumas das regras de privacidade e os termos e direitos que tornam propriedade do facebook, o que lá for colocado; etc.

No entanto, de resto, e sem procurar tecer aqui qualquer tipo de reflexão sobre esta rede social, aprecio a facilidade com que se partilha e debate ideias, opiniões e o que se quiser com as pessoas que nos interessam e a quem interessamos. Pessoas que, quer vivam na nossa rua, quer sejam amigos que emigraram, amigos que o tempo forçou a uma redução do convívio diário, bem como simples conhecidos com os quais gostamos de ir mantendo um contacto de partilha de informação, estão ali. À distância de pequenos bits. Isto é uma das partes boas que contribui para que, como utilizador, o balanço seja positivo.

O Julian Smith também deve gostar de muita coisa mas, focado no que é mau, conseguiu fazer um vídeo, com alguma graça, das 25 coisas que detesta no facebook. Na generalidade, parece-me, a maioria das pessoas concordará com ele.

[ Vídeo: “25 Thing I hate about facebook”, por Julian Smith ]

Written by Cláudio Vieira Alves

20/02/2011 at 15:13

trio leva o rock pesado a voar.

leave a comment »

Hoje, Sábado (30.Out), pelas 23h30min., no Hot Five Jazz Club, dá-se a “estreia mundial” da nova banda do virtuoso guitarrista-vocalista Budda, baterista Nico, e baixista Tó Barbot: o novo trio de rock português Balão de Ferro.

Cartaz de apresentação do trio "Balão de Ferro"

Já aqui escrevi várias vezes [(1)(2)(3)] sobre diferentes apostas musicais deste trio bem como sobre os concertos longos e animados a que se prestam, habitualmente, no Hot Five. É, por isso, conhecendo o passado musical destes músicos bem como as actuais bandas que mantém de pé — Monstro Mau, Budda Power Blues e até Mundo Cão — que antevejo no novo projecto musical um rock português intimamente cruzado ora com os blues mais inspirados, ora com o funk mais dançável. Estes espectáculos são quer pela música, quer pela prestação musical, espectáculos que aprecio ver pelo empenho e entusiasmo que lhes sai do corpo e que descarregam directamente na música.

Para o espectáculo desta noite levarei a máquina fotográfica já que a banda apelou para se filmar, pelo menos, uma música deste primeiro concerto-apresentação da banda com o que que fosse possível (telemóvel, máquina fotográfica, super 8, máquina vídeo, etc). Isto para depois possam reconstruir o concerto com aquilo que foi visto por diferentes pessoas e planos. No entanto, enquanto não há vídeos na internet e como prova da boa qualidade musical bem como do especial cuidado nos vídeos que produzem, por aqui fica um excerto do DVD dos Monstro Mau no qual, a este trio, se junta a voz da brasileira Alex.

[ Vídeo: “Mostro o meu monstro mau”, por Monstro Mau ]

Written by Cláudio Vieira Alves

30/10/2010 at 19:57

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #25

leave a comment »

Em pleno Mundial de Futebol, quando Cristiano Ronaldo rematou a frase de os golos serem, tal qual, ketchup arriscou. Ou, então, estaria longe de conhecer o perigo das analogias.

As analogias e metáforas gozam, desde sempre, do risco de más interpretações. Na história e tradição das analogias com ketchup — cuja história moderna toca, simultaneamente, Quim Barreiros e Ronaldo — sabemos que existem frases com consequências mais dolorosas que outras.

Não?

Ora, então vejamos…

[ Vídeo: “Ensinando a masturbar” ]

Written by Cláudio Vieira Alves

25/06/2010 at 17:46

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #23

with one comment

Há todo um sotaque associado a esta desconstrução de roupas, homens, mulheres, acessórios, etc que convencem e resultam num vídeo que entra directamente para a categoria: o fim do mundo em cuecas.

[ Vídeo: “Cortes & Decotes!” ]

Written by Cláudio Vieira Alves

06/04/2010 at 15:06

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #21

leave a comment »

Bom.

Na produção, na realização, interpretação, escrita, ideia, música… sei lá. É bom acima da média, face ao humor da maioria dos vídeos descartáveis da internet — e dos quais, sabe quem me conhece, sou adepto. Há vídeos do YouTube que mereciam um Óscar. E este, por exemplo, entrava directamente na corrida. Só ainda não sei em qual das categorias.

Deixem-se levar pelo “Uh uh uh uh” e, aos mais púdicos, olhem duas vezes. É inegável: isto é um bom vídeo.

[ Vídeo: “Wrong Hole” ]

Written by Cláudio Vieira Alves

11/03/2010 at 16:41

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #16

leave a comment »

O YouTube — a verdadeira TV do povo — está pejado de vídeos humorísticos. Anúncios, sketchs, imagens da vida real, histórias que não eram para ser humor mas que, bem vistas as coisas, o são. E isto só para enumerar alguns exemplos. Enfim, são muitos pequenos-segundos de frames animados cuja visualização, num ou noutro caso, acaba por viciar e ao longo de dias — semanas, até! — repetimos. Fazemo-lo, repetindo uma e outra vez, por motivos nem sempre relacionados com a qualidade do conteúdo, mas porque ficamos (estranhamente) viciados.

Esta pequena adaptação de um velho refrão de Eric Carmen — e que  Céline Dion tanto cantou — é, para mim, um desses casos. 18 segundos valiosos por dois motivos: torna uma música famosa pelo refrão num simpático pedaço de humor; e desconstrói um dos principais refrões da história das baladas pop. Nunca mais será possível ouvir “All By Myself” como se fosse essa a frase chorada no refrão. Estes são 18 segundos que entram directamente na categoria “trocadalho do carilho” em versão 2.0.

[ Vídeo: “Obama’s Elf” ]

Written by Cláudio Vieira Alves

21/01/2010 at 21:56

ac/dc: alvalade, 3 de junho de 2009.

with 5 comments

Foi  sofrível acompanhar a indecisão em relação à passagem da Black Ice World Tour, dos australianos AC/DC, por Portugal.

Felizmente, há cerca de 10 dias, através da banda de suporte obteve-se a confirmação que, poucos dias depois, foi reiterada pela produtora Everything is New: os AC/DC depois de 13 anos voltariam a Portugal.

Ingresso para o Concerto dos AC/DC, de 3 de Junho de 2009, no Estádio José Alvalade.

Ingresso para o Concerto dos AC/DC, de 3 de Junho de 2009, no Estádio José Alvalade.

Os bilhetes encontram-se, desde dia 21 de Fevereiro, à venda e quem acompanha o twitter terá percebido que as filas a que se assistiram não foram suficientes para esgotar o Estádio José Alvalade com tanta rapidez como aconteceu para outros concertos agendados no resto da Europa. Ainda assim, hoje – 2 dias passados desde o início da venda dos ingressos – o relvado já se encontra lotado, de acordo com informações da ticketline.

Assim, alguma celeridade deverá ser levada em conta para os indecisos, antes que todos os 65.000 ingressos sejam inacessíveis ou colocados a peso de ouro no mercado negro.

Sendo que até este, que se espera o, espectáculo internacional do ano restam alguns dias de espera, é possível estudar a playlist deste concerto, que se prevê semelhante à restante digressão europeia, e que deverá contar com o seguinte alinhamento:

  1. “Rock ‘n’ Roll Train”
  2. “Hell Ain’t A Bad Place To Be”
  3. “Back in Black”
  4. “Big Jack”
  5. “Dirty Deeds Done Dirt Cheap”
  6. “Shot Down In Flames (Europe)
  7. “Thunderstruck”
  8. “Black Ice”
  9. “The Jack”
  10. “Hells Bells”
  11. “Shoot to Thrill”
  12. “War Machine”
  13. “Anything Goes”
  14. “You Shook Me All Night Long”
  15. “T.N.T.”
  16. “Whole Lotta Rosie”
  17. “Let There Be Rock”
  18. Encore 1 – “Highway to Hell”
  19. Encore 2 – “For Those About to Rock (We Salute You)”

Aguardemos pela vinda dos autores de “Back in Black” – um dos temas emblemáticos aqui recordado, em vídeo.

Written by Cláudio Vieira Alves

23/02/2009 at 16:01

«anyone can play guitar.»*

leave a comment »

Mas ninguém a faz gemer em tons metálicos como Ani DiFranco.

[ “Shameless”, por Ani DiFranco, ao vivo em Washington DC, 2004. ]

*radiohead

Written by Cláudio Vieira Alves

19/02/2009 at 21:00

Publicado em música, vídeo

Tagged with ,