as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

Posts Tagged ‘judite de sousa

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #29

leave a comment »

Nos diferentes cafés onde almoço, e quando me apetece acompanhar o prato do dia com alface, tenho alguma dificuldade em fazer valer o meu pedido. Explico: “não, não é salada. só alface, sem cebola, sem tomate, sem cenoura, sem milho. só mesmo a alface”. No entanto, garanto-vos e convido-vos a experimentar fazer o mesmo, formular este pedido é tarefa árdua, demorada e, habitualmente, sujeita a muitas perguntas. O resultado final, tipicamente, é que quando chega o pequeno prato que colocam ao lado do prato principal nada do que disse serviu para coisa nenhuma e servem-me a reputada salada mista.

Tenho visto as Grandes Entrevistas da Judite de Sousa com os vários candidatos à Presidência da República e é o mesmo que acontece. Judite de Sousa faz as perguntas mas não ouve as respostas. Procura desenvolver polémicas e agarrar frases-chave que possam ser manchetes nas capas dos jornais impressos para o dia seguinte. Insiste no modelo “mas, tem mesmo a certeza que pediu só alface?” para no fim, e perante as respostas dos diferentes convidados, acabar por levar à mesa dos espectadores a salada completa que raramente apetece a quem não a pediu. Neste caso, pior ainda, os 30 minutos que Judite consome, preocupada com o acompanhamento do prato político, não permitem perceber o que é que os candidatos têm para servir como prato principal e no fim sobra muita fome e sabor a vinagre.

Não fossem os convidados candidatos à Presidência da República — por este motivo obrigados a manter uma postura diplomática e politicamente correcta — e muitas das respostas da “entrevista” com Bruno Nogueira caíam ali lindamente (dar especial atenção à visualização a partir dos 3 min. e 50 seg.).

[ Vídeo: “Bruno Nogueira em “Grande Entrevista” com Judite de Sousa” ]

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

07/01/2011 at 12:20

deu-lhe uma, duas vezes; mas competente e bem.

leave a comment »

«A minha primeira?! Dou-lhe duas…», José Sócrates na Grande Entrevista com Judite de Sousa

Written by Cláudio Vieira Alves

02/09/2009 at 10:53

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #01

with 2 comments

Na Grande Entrevista desta semana, com a habitual Judite de Sousa, a convidada/amiga foi Manuela Ferreira Leite. Uma Grande Entrevista assente no rigor jornalístico e imparcial a que Judite de Sousa já nos habituou. Se as entrevistas de Louçã e Sócrates mal ultrapassaram os 30 minutos, neste caso — e Judite de Sousa confidencia-o no fim com um sorriso orgulhoso e cúmplice —, durou “mais cinco minutos…”.

E quanto à informação, ou a perguntas realmente importantes? Não, isso não. As questões, espera-se apenas isso de serviço público imparcial, são colocadas num ambiente de convivência que contrasta com quem viu a jornalista lidar, recentemente, com o actual Primeiro-Ministro.

“Foi gira, não foi?” — resume esta Grande Entrevista e permite distingui-la de um trabalho jornalístico sério.

[ Vídeo: “Grande Entrevista com Manuela Ferreira Leite”, por Judite de Sousa, RTP1 ]

Written by Cláudio Vieira Alves

22/08/2009 at 15:42

assim é fácil demais.

with 2 comments

 

Entrevista a José Sócrates, na RTP.

Entrevista a José Sócrates, na RTP.

A entrevista ao Primeiro-Ministro José Sócrates, conduzida por Judite de Sousa e José Alberto Carvalho, foi fácil. Desiludiu na sua condução e soube a pouco.

José Sócrates, um peixe ágil dentro de água no que à comunicação diz respeito, no seu modo contundentemente agressivo, mas perspicaz, geriu o tempo e as perguntas de um modo assinalável. Uma preparação que até assusta de tão fluída que é.

Retire-se toda a mediatização do que, provavelmente, amanhã surgirá na imprensa escrita como manchete: “divergências institucionais” com Presidente da República; Freeport e o desabafo relativo à TVI . Se, com atenção, se observar as respostas políticas relativas aos investimentos públicos, Sócrates explicou, com facilidade mas menos profundidade do que gostaria (indicar a consulta de sites, perante perguntas directas, soou-me deselegante), aquilo que já o ouvimos no Parlamento enumerar: são estas as suas medidas anti-crise e a estratégia eleitoral que tem liderado. Enumerou-as, repetindo, a sua visão de custo vs. benefício, seus horizontes de modernização e combate do desemprego. Mais do mesmo sem surpreender, portanto. E nada de novo.

Apesar de esta ser uma entrevista em pleno ano de eleições e perante uma verdadeira recessão – cujos contornos e implicações imprevisíveis, na realidade, ainda se desconhecem – os entrevistadores fizeram dela uma entrevista morna de meio de mandato, permitindo a Sócrates pintar-se a si mesmo da forma que mais lhe convém. Explorou-se numa hora, repetidamente, os assuntos do costume e para os quais uma entrevista pouco acrescentou. A opinião, generalizada na imprensa, no rescaldo desta entrevista segue o mesmo rumo e aborda, apenas, o que vende proporcionalmente ao que cansa.

Sem uma comunicação social preparada, organizada ou capaz, bem como com o maior partido de oposição política mergulhado numa crise de identidade e liderança, o conflito de ideias corre o risco de ser varrido para fora da agenda política.

Written by Cláudio Vieira Alves

22/04/2009 at 05:37