as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

Archive for the ‘um vídeo por dia’ Category

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #39

leave a comment »

Em tempos escrevi aqui que um anúncio da Coca-Cola é sempre um anúncio da Coca-Cola. Reformulo, sem perder o misto de cliché com verdade la paliciana: todo o marketing da Coca-Cola é sempre uma lição de marketing. É ver este exemplo, recente e em solo nacional, que foi hoje publicado.

E mais podia dizer. Mas, não digo. Porquê? Porque posso.

[ “Carteira da Rivalidade”, por Coca-Cola ]

Written by Cláudio Vieira Alves

27/11/2011 at 18:29

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #38

with 2 comments

O dia 1 de Abril foi, durante muitos anos, o último dia das festividades de passagem de ano  — já que a data de mudança de ano ocorria, por alturas da chegada da Primavera, a 25 de Março.

Com a implementação do calendário gregoriano, em 1564, pelo Rei Carlos IX de França, e a transferência do primeiro dia do novo ano para 1 de Janeiro, muitos foram os Franceses que resistiram a essa modernidade e continuaram a celebrar o dia 1 de Abril como o último dia das festas de passagem de ano. Esta resistência à mudança por um grupo de pessoas motivou os restantes franceses, que estavam em concordância e que transitaram para o novo calendário, a inventar partidas que ridicularizassem os mais conservadores.

Reza a lenda que foi assim que, quase 500 anos depois, muitos dos Países Ocidentais passaram a celebrar o dia 1 de Abril como o Dia das Mentiras.

Ora, neste dia, uns fazem melhores partidas do que outros. Mas, o caso deste jornalista da FOX 5 que, depois de uma falsa peça jornalística a explicar a tecnologia que torna possível que um iPad emita sabores e cheiros, convence a sua colega de profissão e de programa a lamber um iPad em directo tem graça. Lá isso, tem.

[ Vídeo: “Pivôt prega partida a colega em directo”, por Fox 5 ]

Written by Cláudio Vieira Alves

06/04/2011 at 14:32

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #37

with 4 comments

Eu, que nunca (e faço um mea culpa por isso) coloco vídeos relativos a futebol, não fico imune a este pedaço de bom humor.

Paulo Futre, num debate para as Eleições do Sporting, conseguiu que, nos últimos dois dias, esta fosse das poucas declarações públicas com piada. Fica a minha humilde dica a Pedro Passos Coelho para que, a julgar pela falta de ideias apresentadas na última entrevista, recorra a homens com inovações frescas como as que aqui Futre apresenta.

É ver, e ouvir, principalmente a partir dos 2min30seg..

[ Vídeo: “Declarações”, por Paulo Futre ]

É que, com aquela do “departamento do jogador chinês”, qualquer um fica sem palavras.

Written by Cláudio Vieira Alves

25/03/2011 at 23:05

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #36

leave a comment »

A publicidade televisiva, um dos canais de comunicação instituídos para o marketing, apresenta demasiadas vezes factos deturpados e manipulados para que o produto a sugerir ao consumidor se apresente como a melhor alternativa. É assim das pastas de dentes até às pastilhas anti-calcário e aos detergentes de louça. No caso da publicidade institucional, na maioria dos casos, a originalidade é pior ou nem existe — pelo que somos francamente convidados a fugir desses spots.

Contudo, nem sempre tem que ser assim. Tanto que, perante factos negativos e maus resultados que são conhecidos do grande público, a Topper — uma marca brasileira de produtos de desporto — pega nos resultados fracos de rugby no Brasil, no torneio sul-americano, e associa-os com humor a um bom exemplo de publicidade. O humor é, como todos os consumidores o percebem, uma das mais velhas fórmulas da publicidade que, quando bem feito, resulta na perfeição.

Abaixo. É espreitar estes 3 anúncios compilados num só vídeo.

[ Vídeo: “Rugby. Isso ainda vai ser grande no Brasil”, por Topler ]

Written by Cláudio Vieira Alves

14/03/2011 at 14:03

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #36

leave a comment »

Se o mundo se divide entre os homens que privilegiam (i) as mamas, (ii) ou os rabos, eu teria que assumir uma principal predilecção pelas primeiras. Na realidade, não serei caso único — a julgar pela quantidade de blogues que se preocupam precisamente em documentar as diversas formas que, aos pares, populam este mundo. Mas, não sejamos pudicos, se a verdade é que os homens reparam e falam destas coisas, a verdade é que também as mulheres heterossexuais gostam de dar uma espreitadela em seara alheia.

Este assunto tem pano para mangas e é tanto assim que duas mulheres norte-americanas, com tanto de convencimento como de criatividade tecnológica, decidiram passear por Los Angeles com uma pequena câmara oculta presa, precisamente, a um dos seus rabos. Com efeito, gravaram algumas reacções interessantes que decidiram partilhar num pequeno vídeo. E, num género de serviço público, cá está ele.

[ Vídeo: Câmara oculpa, por Rear View Girls ]

Written by Cláudio Vieira Alves

03/03/2011 at 12:45

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #35

leave a comment »

Ainda no rescaldo da notícia do lançamento do longa-duração d’Os Velhos, para este ano, foi lançado o teledisco do primeiro single: Senhora do Monte. Com realização de Luís Monge a edição do teledisco foi da responsabilidade da banda.

Meus caros: temos rock’n’roll. Aqui, temos rock’n’roll.

[ Vídeo: “Senhora do Monte”, por Os Velhos ]

Written by Cláudio Vieira Alves

25/02/2011 at 13:23

um vídeo por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. #34

with 2 comments

Há algumas coisas que, pessoalmente, me irritam no facebok: o lixo de “não-sei-quem alterou a foto de perfil” e derivados; os jogos farmville e sucedâneos; os quizzes; a dificuldade na gestão de múltiplos contactos vs. páginas; as alterações que lhe fazem, como o perfil novo e a lista de feeds só das pessoas com que se interage, sem que se avise ninguém; a forma como agora se vê as fotos com aquele fundo preto e que torna tudo lento; algumas das regras de privacidade e os termos e direitos que tornam propriedade do facebook, o que lá for colocado; etc.

No entanto, de resto, e sem procurar tecer aqui qualquer tipo de reflexão sobre esta rede social, aprecio a facilidade com que se partilha e debate ideias, opiniões e o que se quiser com as pessoas que nos interessam e a quem interessamos. Pessoas que, quer vivam na nossa rua, quer sejam amigos que emigraram, amigos que o tempo forçou a uma redução do convívio diário, bem como simples conhecidos com os quais gostamos de ir mantendo um contacto de partilha de informação, estão ali. À distância de pequenos bits. Isto é uma das partes boas que contribui para que, como utilizador, o balanço seja positivo.

O Julian Smith também deve gostar de muita coisa mas, focado no que é mau, conseguiu fazer um vídeo, com alguma graça, das 25 coisas que detesta no facebook. Na generalidade, parece-me, a maioria das pessoas concordará com ele.

[ Vídeo: “25 Thing I hate about facebook”, por Julian Smith ]

Written by Cláudio Vieira Alves

20/02/2011 at 15:13