as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

Archive for the ‘instantâneas’ Category

se não forem as tuas mãos, quais vão ser?

with 2 comments


mercado do bolhão, porto. 2011
Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

22/08/2011 at 08:19

tenho mais de segunda-feira do que gostaria de admitir. (iv)

leave a comment »

O sono pós-dominical é profundamente tramado. Para mim, repousa num gosto de ressaca a café.

Written by Cláudio Vieira Alves

14/03/2011 at 08:59

todo o carnaval tem o seu fim.

leave a comment »

É curioso que este pós-férias manifeste a mesma sensação de falta de cafeína que as segundas-feiras. A verdade é que estas férias de carnaval foram, apesar da curta duração, tão diversificadas e preenchidas que, desta vez, tenho mesmo que reclamar que o carnaval tenha seu fim. Mas, faço-o com o pretexto de citar declaradamente os brasileiros Los Hermanos — que, ao abrigo da sua nacionalidade, têm mais do que autoridade para falar de desfechos carnavalescos.

E “Todo Carnaval tem seu fim” é, dentro ou fora da época de folia, uma das minhas canções favoritas de sempre (o vídeo fica aqui, e a letra está ali).

[ Vídeo: “Todo Carnaval tem seu fim”, por Los Hermanos ]

Written by Cláudio Vieira Alves

09/03/2011 at 09:13

sou um reflexo da cidade em que cresci.

leave a comment »

Written by Cláudio Vieira Alves

05/03/2011 at 15:19

Publicado em fotografia, instantâneas, porto

Tagged with , ,

é uma camioneta? um furgão? é um camião de imigrantes ilegais? não, é só um claustrofóbico avião de uma companhia lowcost.

leave a comment »

Written by Cláudio Vieira Alves

02/03/2011 at 09:09

Publicado em fotografia, instantâneas

Tagged with , ,

eu vim de longe. o que eu andei p’ra aqui chegar.

leave a comment »

Dá-me a sensação, ao olhar para trás, para o curto passado que carrego sem dores nas costas, que faço um caminho sem me aperceber. Não por falta de motivação ou de visão, mas antes por uma necessidade de andar para lá chegar. O espanhol António Machado dizia, ao caminhante, que não há caminho — avisava, sim, que “se hace camino al andar”. Mas, ao pensar em tudo isto, acabo sempre é por esquecer a poesia e lembrar-me deste anúncio da Guiness que proclama que as coisas boas vêm de encontro aos que sabem esperar.

[ Vídeo: “Good things come to those who wait.”, por Guiness ]

Written by Cláudio Vieira Alves

01/03/2011 at 09:43

já nem sei: ou ele era a multidão, ou a multidão é que era dele.

leave a comment »

Written by Cláudio Vieira Alves

24/02/2011 at 23:12

Publicado em fotografia, instantâneas

Tagged with , , ,