as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

skunk anansie e os coliseus.

leave a comment »

Os Skunk Anansie formaram-se em 1994 e  — apesar da saída do baterista original, Robbie France, nos seus primeiros passos musicais — estiveram juntos até 2001. Foram, e são, reconhecidos como uma das principais bandas de rock britânico e ao longo desses anos editaram 3 importantes álbuns de rock alternativo. O rock deles afirmando-se explosivo e orgulhosamente carregado de raiva consistiu numa abordagem simultaneamente feminista e racista. Se, de diferentes formas, a fórmula do rock tocado pelo metal se encontra nestes álbuns, noutra perspectiva, os Skunk Anansie foram das bandas onde os inventos criativos da electrónica e do processamento de efeitos de um baixo (tocado e reinventado por Cass Lewis) melhor se harmonizam com a fórmula base e o compasso quaternário sujo do rock.

Skin, vocalista dos Skunk Anansie.

Skin, vocalista dos Skunk Anansie.

Posteriormente ao rompimento com a banda, a vocalista e líder Skin — de uma voz aguda, com muita personalidade e fortemente reconhecível por todos os adeptos de diferentes quadrantes musicais — ainda procurou traçar o seu caminho de um modo solitário. Porém, acabou por viver durante estes últimos anos na sombra dos Skunk Anansie e mesmo nas suas prestações ao vivo — onde sempre teve uma tendência para desafinar — era ao recordar as músicas da banda de “Charlie Big Potato” que conseguia obter uma plateia vibrante. Apesar dos seus desafinos, honra lhe seja feita, é notável a forma explosiva e viva como Skin vive o palco e consegue transportar a sua audiência para o que nele se passa.

Actualmente, já após o lançamento de um “Greatest Hits” e de uma passagem por Portugal em Novembro de 2009 regressam aos Coliseus portugueses com um novo disco de originais: Wonderlustre. Hoje e amanhã, respectivamente, dia 7 e 8 de Fevereiro, apresentam quer no Coliseu do Porto, quer no Coliseu de Lisboa, este novo disco.

Quanto ao Wonderlustre: definitivamente, não foi o disco que ficou por fazer mas poderá ser um novo relançamento da carreira que lhes permita construir bons álbuns como o foi o Stoosh. Assim, capitalizam-se com sucessos antigos e hoje, ao contrário do som de rock sujo pela electrónica ressacada em anos 90, apresentam, no novo disco, pop com pequenas pinceladas de rock. No entanto, ainda assim, será bom revê-los ao vivo bem como ouvir pedaços dos 4 discos já editados.

O primeiro single do novo Wonderlustre é “My Ugly Boy” e em pouco mais de 3 minutos desfaz-se, no vídeo, um antigo BMW.

[ Vídeo: “My Ugly Boy”, por Skunk Anansie ]

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

07/02/2011 às 14:12

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s