as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

sobre o equilíbrio universal e os trocadilhos ordinários.

with 2 comments

Parado na tabacaria, e olhando as capas das revistas enquanto espero que a dona da tabacaria encontre o maço de Tabaqueira perdido na prateleira, escapa-me a frase. Sai-me, a respeito da capa da revista Playboy de Outubro, sem pensar duas vezes e com um sorriso adolescente e hormonal. Disse: “mas, esta Cristina não será Areia a mais para a maioria das camionetas?”.

A mulher da tabacaria-quiosque junto ao Marquês de Pombal olha, para mim, com ar de desentendida e levemente incomodada. O motivo do incómodo deve residir, penso eu, em ter fugido à conversa estruturada que prefere manter com os seus clientes. E eu lembrei-me que não estava no Porto.

Ora, assim, se perdeu um trocadilho previsível mas, como tantos outros, fundamental para a saúde e equilíbrio universais.

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

15/10/2009 às 14:53

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. É por essas que continuo a dizer que adoro a malta do Porto. Apesar de ser angolana, mas a primeira cidade quando cheguei foi o Porto,depois Coimbra e por fim Lisboa.Mas a malta do porto é mais amistoso, mais bricalhona. Tudo de bom para vocês.

    teresa

    23/10/2009 at 12:37


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s