as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

a voz, a expressão, a criatividade — o artista.

leave a comment »

Raul Solnado e as suas histórias são, desde há muitos anos e para mim, audição obrigatória. Um velho hábito que passou da geração dos meus Avós e chegou até mim, ainda em formato vinil, pelos meus Pais. Um património de humor nacional a que, aprendi cedo, era impossível ficar-se indiferente.

Raul Solnado (1929-2009)

Raul Solnado (1929-2009)

Foi, já no formato digital, que apresentei as suas histórias a tantos outros e, até em grupo, partilhei viagens com a companhia das suas histórias.  Histórias que num registo de fantasia humorística e, apenas com uma voz, apaixonavam nas pausas, na imitação da pronúncia rural e na criação de expressões que, ainda hoje, utilizo.

Raul Solnado, em diversas fases da sua vida, produziu muito na sua vida. Foi, como artista, fiel ao seu estilo, à sua paixão e à sua visão. Foi, em si mesmo, valioso.

As histórias eram de um tempo em que o stand-up nem existia como conceito stand-up e o humor non-sense acompanhado de um olhar crítico à sociedade era vedado pela censura.

Raul lutou contra esse tempo. E esse tempo não volta mais. É triste, mas nem o Solnado.

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

08/08/2009 às 16:22

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s