as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

a minha vida dava um jingle. #13

leave a comment »

Sinto tudo e faço de conta que não. Sinto todos e, nessa obsessão de sentir o que me despertam, me divido de me sentir a mim. Sou de uma sensibilidade que não quis ter e que me custa, agora, perder: um bruto vidrinho de cheiro em que não me escolhi tornar. 

Os sentimentos – bons ou maus – despertam-me a atenção. Se camuflados fazem-me sorrir. Tal e qual sorrio, (in)ternamente, pelos tiques de linguagem que, ao estilo da febre contagiosa, atravessam o ar mais rápido do que o fumo de cigarro numa sala. E tudo isto está mais relacionado do que aparenta. Pelo menos, foi assim que hoje o senti.

[“I feel it all”, por Feist ]

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

30/04/2009 às 11:00

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s