as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

uma mão lava a outra – ou o apoio da microsoft, aos principais partidos políticos, sempre foi misericórdia?

with 4 comments

Bill Gates não meteu, ainda, a viola ao saco.

Bill Gates não meteu, ainda, a viola ao saco.

«O vortalGOV, principal plataforma de contratação electrónica, não permite a sua utilização por empresas que não utilizem o software Microsoft. 
Isto significa que as empresas nacionais que tenham optado por qualquer outro sistema operativo – Linux, Solaris, BSD ou Apple – estão impossibilitadas de aceder ao serviço e, consequentemente, de participar em concursos públicos, se não adquirirem tecnologia Microsoft para esse efeito.» (notícia adaptada retirada do Público)

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

05/03/2009 às 17:50

Publicado em notícias, política

Tagged with , ,

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Grande parte das ferramentas Empresariais da Microsoft não se dão bem com ferramentas de outras empresas. Acho que a culpa neste caso será principalmente de quem lhes comprou o Portal. Já devia saber ao que ia. Não? A Microsoft é uma empresa bastante fechada sobre si, neste aspecto. Nem deve querer saber de integração… =p

    Já agora, imagino que querias dizer “PortalGOV”, não?

    Abraço!

    simao

    05/03/2009 at 19:13

    • Viva, Simão.

      Obrigado pelo comentário.
      Na realidade refiro-me, mesmo, a “vortalGOV – detido pela empresa Vortal, Comércio Electrónico, Consultadoria e Multimédia S.A”. Eu estou-me a borrifar para o que a Microsoft considera integração e para os horizontes e visão que estes têm de um espaço comum na web. Deixo de me borrifar quando são utilizados recursos da Microsoft para ferramentas de utilização pública e generalizada. Pagas, pois, por contribuintes e por empresas. As mesmas que vêm negadas a sua utilização porque, como dizes, “a Microsoft é uma empresa bastante fechada sobre si”.

      Que o homem proíba a mulher de ter iPhone, tudo bem – ele é que manda na sua casa. Que o Estado compre as suas soluções que não são integráveis noutras plataformas: tudo mal.

      Mas, como digo: uma mão lava a outra. E tanto apoio e suporte financeiro têm de ser retribuídos alguma vez.

      Um abraço e espero, ansioso, o teu blogue do estágio na Holanda.

  2. Engraçado como se assumem como sendo “a principal plataforma” quando não o são e até são dos que menos quota de mercado têm devido a isso mesmo ( Microsoft alone )… mas enfim, há que tentar vender.

    Sérgio

    15/07/2009 at 10:54


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s