as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

a minha vida dava um jingle. #04

leave a comment »

Moto fora de portas. Aquece o motor enquanto fecho o casaco, calço as luvas e finjo uma protecção ajuizada com a cabeça enfiada num capacete. 

Monto-a e dou um toque preciso de calcanhar para recolher o descanso.

Deixo-a escorregar para sair do passeio. O estrondo da primeira a frio e a roda traseira a querer avançar.

Cabeça, perigosamente, noutras coisas. Duas curvas à esquerda, ainda a 1ª velocidade – que perco prioridade e a moto não está suficientemente quente para acelerações potentes.

Uma rotunda. 

A VCI aninhado, de uma 3ª. a 6ª., quase orgásmica e atrás de um vidro que só me protege de bichos voadores menores. Um ruído agudo, e carros galgados numa pressa estúpida de viver. 

[“Da vertigem sou mendigo”, por Mundo Cão ]

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

03/03/2009 às 18:00

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s