as horas extraordinárias

«bem fiz em ter por necessárias as horas extraordinárias.», sérgio godinho

elisa ferreira, sendo do norte – não o percas!

with 2 comments

Ontem, Elisa Ferreira apresentou oficialmente a sua candidatura na Alfândega do Porto. Acompanhada pelo primeiro-ministro José Sócrates, bem como perante a presença de diversos ministros, secretários de estado e faces do Partido Socialista, Elisa apresentou-se com garra a um combate político histórico à Câmara Municipal do Porto.

Não me recordo de um duelo político tão cerrado como aquele que se espera destas eleições autárquicas na Invicta. Por um lado, a política direita de contenção, uma visão contabilística do que é a Autarquia, com Rui Rio. Uma autarquia de manutenção de serviços públicos e utilitária. Por outro, Elisa Ferreira falando ao coração do portuense com a promessa de combater a desertificação e de colocar o Porto no mapa da “reconstrução da Economia Nacional”.

Ora, eu sei o que quero para o Porto – e coincide com o que Elisa Ferreira anuncia. Mas é possível, com o centralismo político, cumprir o que diz?

«O Porto não quer ser uma cidade conformada, amesquinhada, esquecida ou subsidiada; é urgente intervir nos bairros sociais pelo lado das pessoas, bem como no edificado degradado, onde grassam o envelhecimento, a desertificação e formas extremas de marginalização e exclusão, sobretudo no cento histórico e na zona oriental.», Público (ed. impressa)

Anúncios

Written by Cláudio Vieira Alves

20/02/2009 às 14:15

Publicado em notícias, política, porto

Tagged with ,

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. e como vês a candidatura, ao mesmo tempo, ao parlamento europeu? acho que caiu muito mal, é, por um lado, o segurar o poleiro confortável na europa, e por outro, uma entrega antecipada dos pontos. sinceramente, não tenho qualquer expectiva nesta candidatura, até porque acho que o rio vai arrasar. mas força aí na esperança! beijinho*

    irene

    20/02/2009 at 16:52

    • Viva Irene!,

      Naturalmente que me desagrada do ponto de vista da moralidade ou da ética. Em termos políticos, compreendo-o. As eleições europeias ocorrem antes e, ganhando a autarquia, estou em crer que o lugar de eurodeputada ficará, automaticamente, abandonado. Há é uma clara tentativa de ganhar tudo sem correr grandes riscos, da parte do PS. Elisa Ferreira é um nome confortável e seguro, na opinião pública.

      Bom, mas na realidade, o passado diz-nos que o Porto não gosta muito disto: políticos divididos entre lugares. Não tivesse acontecido o mesmo com o Fernando Gomes e, provavelmente, o Rio não tinha, nas tuas palavras, arrasado.

      A esperança e a vontade de afastar o Rio daqui é enorme, sim.

      Um beijo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s